E se o Leaf pudesse ser um monovolume? Com a e-NV200 sete pessoas podem ser transportadas em conforto, silêncio e economia.

A Nissan comercializa a versão elétrica da NV200, com preços a partir de 25 mil euros para as versões de trabalho, 29 502€ para a versão de cinco lugares e 30 240€ para a de sete lugares. A lista de equipamento é bastante razoável, já inclui um bom sistema navegação/multimédia e uma câmara de auxílio a manobras. Não há lugar a qualquer incentivo extra para a compra de um veículo de sete lugares, nem para famílias numerosas, porque os EV já não pagam ISV. Na versão “Flex”, ao preço final há que acrescentar o aluguer mensal da bateria (93€/mês), mas o cliente pode preferir adquirir a bateria, por cerca de 5000€.

No fundo, o que aqui temos é um verdadeiro Leaf de sete lugares. Pode servir uma família numerosa, mas também um serviço profissional de transporte de passageiros – um “transfer” hotel-aeroporto, por exemplo, a representar custos de utilização muito baixos, na ordem dos 45€/mês em eletricidade. Nenhum furgão Diesel utilizado todos os dias tem custos tão baixos. A e-NV200 comporta-se como um Leaf mais corpulento: o motor síncrono e a bateria de 24 kWh de capacidade são os mesmos que o Leaf usava até final de 2015; as prestações aferidas são praticamente idênticas às do Leaf, o que resulta num belo elogio para esta Combi, que pesa uns bons 200 kg mais. Abdicando do modo “Eco”, o primeiro impulso de aceleração é intenso, daqueles que faz arrepanhar a pele da testa até à nuca, mas é a andar devagar, e a fazer uma boa gestão de consumo/regeneração de energia que se consegue uma autonomia (real) de 119 km. A seguir, o sistema diz-nos que precisa de 13h30 horas para carregar a bateria – o único real “espinho” em toda esta fusão entre um transportador de pessoas e um carro elétrico.

Assine Já

Edição nº 1460
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes